Por favor, obrigada!

Sempre soube que um dos meus filhos teria a minha personalidade.

Desde pequena sempre fui cheia de opinião e para me convencer é necessário argumentar. “Não me venha com chorumelas.” Deve ser por isso que fiz Direito e um dos meus livros preferidos durante a faculdade foi “A arte de Argumentar.”

Além disso, desde bebê dei muito trabalho à minha (santa! rs) mãezinha fazendo pirraças cinematográficas na rua, no mercado, nas lojas, enfim. Tenho 28 anos e até hoje ouço piadinhas dos amigos dos meus pais sobre as famosas birras. Morro de vergonha!

Enfim… a Isabela de apenas 1 ano e 8 meses resolveu ser assim também. Ela tem dificuldade para ouvir “não” como a maioria das crianças dessa idade, mas o diferencial é que faz birras horrorosas, chora de “perder o ar”, se joga no chão e tal.

Mas eu e o pai dela percebemos que isso acontece principalmente quando está com muito sono e por algum motivo eu enrolo para fazê-la dormir. Às vezes porque estamos numa festa ou fora de casa, às vezes porque estamos muito ocupados.

Dessa forma, assumo que os pais  muitas vezes são responsáveis pelas manhas das crianças, quando não respeitamo os horários e os limites deles. As crianças devem ter hora para dormir, comer, brincar, aprender, etc.

Depois que nos atentamos para isso, as pirraças diminuíram muito. Essa foi a primeira estratégia. RESPEITAR!

Mas independente disso, sei que a minha filha tem a personalidade forte e segue um exemplo disso:

– Isabelaaaa! Vem pentear o cabelo! Rápidooo! Estamos atrasadas!

Ela simplismente finge que não ouve e não vem.

Daí eu mudo a estratégia:

– Filha, vem pentear o cabelo com mamãe…Por favor, obrigada!

Ela vem.

Ou seja, ela não gosta de ser mandada. Ninguém gosta. Mas às vezes será necessário e sem sempre estamos com paciência para agir assim. Enquanto vou me adaptando e aprendendo a lidar com as novas situações que surgem no dia-a-dia, sigo fazendo manobras para ensiná-la, reconhecendo o quão trabahoso é educar.

Claro que evitar conflitos nem sempre é a solução, porque às vezes é necessário para ensinar a criança, mas no momento em que me encontro (grávida de outro bebê), estou utilizando a segunda estratégia do “POR FAVOR, OBRIGADA!”

Ah! E sem culpa! Afinal, quem nunca utilizou de uma estratégiazinha para evitar um estresse atire a primeira pedra! 🙂

Camila Vaz

Anúncios

Um comentário sobre “Por favor, obrigada!

Compartilhe, multiplique, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s