A chegada do irmão mais novo – (parte 2)

DSC09387 menor

Lembram que eu voltaria para falar da segunda parte da experiência sobre a chegada do irmão mais novo? Então, vamos lá!

Quando soube da gestação do Isaque já comecei a planejar e sonhar com o quartinho dele, só que teríamos que construí-lo, porque só  havia dois quartos. Um nosso e outro da Isabela.

Mas para evitar transtornos durante a gestação, (da outra vez tive uma alergia terrível!) resolvemos deixar a obra para depois no nascimento dele, daí deixamos o berço que era da Isabela no nosso quarto para ele dormir perto de nós .

O Isaque nasceu uma semana depois da Isabela completar 2 anos! Ela foi visitá-lo no hospital e na primeira semana estava indo tudo muito bem, até que ela passou a ficar transtornada quando eu entrava no quarto dela com ele no colo. Era como se lá fosse proibido, afinal, ele estava invadindo o QG dela! rs

Eu comecei a entender que o fato dele ter ficado no meu quarto gerou um baita ciúme nela e na cabeçinha da minha filha, ele não tinha um espaço na casa.

Reconheço que na tentativa de acertar, os pais muitas vezes erram. E nós, erramos ao achar que seria melhor não mexer no mundo-cor-de-rosa dela, para não alterar ou causar impacto.

Aconteceu justamente o contrátio, porque apesar de termos preparado o psicológico dela, não estimulamos o lado visual, não preparamos um cantinho só pra ele.  Mostrar roupinhas e acessórios dele não foi o suficiente para uma bebê de 2 anos.

Quando ele chegou, algo abstrato se tornou real e foi difícil para ela lidar com isso.

Foram dias bem difíceis de adaptação …

Até que, exausta e frustada por ver que ela não o aceitava no quarto dela, aos prantos, recorri a Deus. Pedi uma orientação quanto ao que fazer. (Sim! Ele se importa com nossos problemas e dificuldades, ainda que pareçam bobos e simples.) E Ele, como sempre, me respondeu.

Quando meu marido chegou do trabalho, conversei com ele e decidimos deixar os dois no mesmo quarto por um tempo.

Achamos que seria bom para ela aprender a dividir as coisas, os brinquedos, o mesmo espaço para que entendesse que a partir daquele momento seria preciso COMPARTILHAR.  

Não estou dizendo para todo mundo fazer isso, cada caso é um caso. Mas conhecendo a nossa filha, sabendo do excesso de paparico que ela recebe dos quatro avós, tios e tia, acostumada a ser o centro das atenções, hoje temos a certeza de que tomamos a decisão certa.

Pintamos o quarto de amarelinho, demos prioridades aos brinquedos coloridos, bandeirolas, tapete e cortinas neutros, dividimos guarda-roupas e cômodas, espalhamos fotos dos dois por todos os cantos e ficamos esperando a reação dela.

 Acreditem: foi a melhor possível! Ela ficou super feliz em dividir o quarto com o irmão, em ver que agora ele adentrou ao mundo dela. Inclusive, ela adora brincar lá enquanto o irmão está no berço. Se eu tiro ele do berço, ela sai do quarto também. Foi impressionante!

 Achamos muito interessante isso tudo. Talvez seja porque a mudança ocorreu ainda bem cedo, porque se fosse mais tarde, ela iria achar que estava perdendo espaço pra ele. Mas ela não viu assim.

Creio que a atitude de juntar os dois, foi realmente uma orientação de Deus, porque Ele conhece nossos filhos melhor do que nós mesmos, afinal, foi Ele que nos deu e sabe o que é melhor para cada um de nós.

 Já, já vamos começar a obra do novo quarto, mas agora as coisas já estão se acomodando e ela está super carinhosa com o irmão, mais atenciosa, fazendo brincadeiras para ele sorrir e cantando para ele não chorar. Dorme ao lado dele e enche de beijinhos… um amor! Meu coração de mãe fica como? 🙂

Acomodar os dois no mesmo quarto funcionou aqui. E aí na sua casa, como foi? Conte pra nós a sua experiência!

DSC09389 menor

 

Um beijo

E não esqueçam de curtir a minha página!

https://www.facebook.com/blogmundodepalavras?ref=hl

Camila Vaz

Anúncios

5 comentários sobre “A chegada do irmão mais novo – (parte 2)

  1. Oi Camila! Aqui a Clara dorme no nosso quarto, principalmente pela amamentação, pois ela acorda muitas vezes e assim é mais fácil para atendê-la. Mas também fiz como tu, aproveitei o quartinho do Vítor e transformei em um espaço coletivo. Durante o dia, os dois brincam bastante no quarto, que possui objetos e brinquedos que os identificam. Beijos, Ananda.

    Curtir

Compartilhe, multiplique, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s