Os sonhos, a maternidade e os estudos.

image

“Quando se nasce pobre, ser estudioso é o maior ato de revolta contra o sistema”

Aprendi isso aos 18 anos. Na época, filha de um motorista de ônibus e de uma dona de casa, fui trabalhar para pagar a minha faculdade de Direito, ou melhor, para financiar meu sonho.

Sonho que eu sonhava acordada, porque não tinha nem tempo para dormir. Uma jornada louca e cansativa de 5 anos, mas que valeu cada segundo. Não apenas pelo retorno financeiro, mas pela realização do sonho.

Aprendi que, apesar de parecer clichê, somos responsáveis por nossas escolhas sim e que para colher os frutos é preciso semear… sob suor, lágrimas, chuva, sol e falta de grana.

Vejam, não há demérito algum em ser pobre e o fato de estudar por si só não transforma a vida de ninguém da noite para o dia. É um processo…

O lance é que, na maioria das vezes, a pobreza não é uma escolha, mas uma condição social imposta pela sociedade desigual. E a gente sabe bem que vivemos num país com um índice de desenvolvimento humano vergonhoso.
O que acho injusto e cruel é a falta de oportunidades para todos.

Se a pessoa não quiser estudar, ok. Mas se ela quiser é necessário ter garantidas mínimas para isso.

O acesso às universidades públicas é dificílimo e às particulares são para poucos.

Então, para o pobre estudar é necessário muitas vezes, realizar um sacrifício quase desumano. Ir na cara e na coragem, na raça mesmo!

E foi isso que eu tive que fazer.

Afinal, brasileiro aprende rápido que quando a oportunidade não nasce pronta, a gente vai lá e cria.

Na faculdade convivi com muitas mães que se viravam nos 30 para concluir o curso. Algumas moravam na cidafe vizinha, outras,levavam as crianças para a sala de aula ou se revezavam cuidando delas nos corredores e até dentro dos carros no estacionamento.

Estudei com mães casadas, solteiras, gestantes e avós. Todas elas cheias de dificulfades e empecilhos, mas determinadas e focadas.

Antes de ser mãe eu não tinha a menor noção da dimensão do sacrifício que elas estavam fazendo. Hoje eu tenho.

Algumas mulheres deixam de estudar por conta de uma gestação,  outras por falta de apoio familiar e muitas por não possuírem recursos financeiros. Eu não as julgo, mas quero deixar um recado de ânimo para você que deseja estudar e não vê hoje, uma luz no fim do túnel.

Não pare de caminhar, sonhar e planejar, porque em algum momento você verá a claridade. A saída só aparece para quem continua procurando por ela.

Se por algum motivo você não conseguiu realizar ainda o sonho de estudar, não desanime.

Hoje em dia as oportunidades são um pouco maiores que antigamente, com a prova do ENEM, do PROUNI, com a educação à distância…

É preciso força, determinação e fé.
Afinal,  enquanto houver fôlego de vida há esperança. E a esperança é o combustível da nossa alma.

Bom final de semana!

Camila Vaz
http//: mundodepalavras@wordpress.com

Anúncios

2 comentários sobre “Os sonhos, a maternidade e os estudos.

  1. Querida amiga

    Às vezes as palavras
    se escondem em nossas vidas.
    Então,
    saímos em busca de inspiração
    nos lugares onde a amizade
    se faz preciosa,
    (lugares como este)
    pois são os amigos
    que guardam as melhores
    palavras de nossa vida,
    para nos devolver e inspirar
    quando estivermos distantes
    de nós mesmos…

    Obrigado por sua generosa amizade…

    Curtir

Compartilhe, multiplique, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s