Amor próprio ou Narcisismo?

A cultura da satisfação pessoal a qualquer custo, o culto à imagem e o individualismo, se contrapõem drasticamente a um princípio básico do Evangelho: o amor. 
É lógico que o amor próprio é realmente essencial, desde que a gente também ame ao próximo como amamos a nós mesmos e o desejo de receber seja proporcional ao desejo de repartir.  
Devemos cuidar para que o nosso amor não seja tão próprio, mas tão próprio, que se torne incapaz de alcançar as pessoas ao nosso redor.
A individualidade segundo o padrão de Cristo não é individualista e a nossa autoestima não precisa ser elevada ao máximo, apenas precisa estar no lugar certo.
Quando trocamos a cultura da terra pela cultura do Céu, nossa visão sobre nós mesmos e sobre o outro é redimida e ajustada, pois passamos a refletir à imagem de Cristo e isso muda tudo.

Camila Vaz

💡💡💡”Saiba disto: nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus. 2 Timóteo 3:1-4″💡💡💡

Anúncios

Compartilhe, multiplique, comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s